Blog Romanelli

Conhecimento, informação e novas técnicas foram assuntos de destaque no segundo dia de evento

O segundo dia de Convenção, dia 18, teve caráter mais técnico. Ainda no período da manhã, os representantes visitaram as instalações da empresa ETA Engenharia, que é comandada pelo engenheiro e diretor técnico Marcelo Romanelli. Os participantes puderam acompanhar de perto o funcionamento dos maquinários e equipamentos da ETA.

Ao regressarem à Romanelli, o diretor industrial, Ilson Romanelli, fez explanação dos equipamentos aos representantes, além de informar como procede a aplicação de toda a linha de produtos Romanelli. Os participantes puderam tirar dúvidas em relação ao funcionamento do maquinário. Durante a tarde, o engenheiro Carlos Amaro falou sobre o equipamento CCR 500 Ecológico, o Comboio de Abastecimento e Lubrificação.

No final do dia, os representantes puderam conferir alguns equipamentos da empresa funcionando em campo. Houve a restauração do asfalto na entrada da Romanelli, onde apresentaram máquinas das empresas parceiras da Romanelli. Os representantes aproveitaram o momento para tirar dúvidas e questões sobre os equipamentos.

compartilhar
KIT COMPACTO TAPA BACHES  ROMANELLI GANA LICITACIÓN EN COLOMBIA.

KIT COMPACTO TAPA BACHES ROMANELLI GANA LICITACIÓN EN COLOMBIA.

KIT COMPACTO TAPA BACHES ROMANELLI GANA LICITACIÓN EN COLOMBIA; NUESTRO REPRESENTANTE FIZA SAS. SALE EN EL DIÁRIO MÁS IMPORTANTE DEL PAÍS ¿ADIVINHA CON QUE EQUIPO? EN TOTAL SON 12 EQUIPOS TBR-500 5M³ SIENDO LA PRIMERA ENTREGA AHORA EN NOVIEMBRE. Engativá, la primera localidad que tapará sus propios huecos. Por: REDACCIÓN BOGOTÁ | 7:49 p.m. | 04 de Noviembre del 2013 La carrera 77 con calle 69A, en Engativá, es una de las vías más deterioradas de la zona. Foto: Héctor Fabio Zamora / EL TIEMPO Contará con maquinaria propia para hacer el mantenimiento de la malla vial local desde el 2014. Cansados del pésimo estado de una buena parte de la malla vial de Engativá –según estudios, más de 366 kilómetros de los 1.328 existentes están deteriorados–, el gobierno local comenzó el proceso para adquirir un arsenal de equipos para consolidar la primera Unidad de Mantenimiento Vial Local de Bogotá. Si todo resulta como está previsto, la maquinaria empezará a tapar huecos desde enero del 2014 en esta zona de la ciudad. El propósito de esta iniciativa es evitar todos los vicios de corrupción, negligencia y demoras en los procesos de contratación. “Por eso, el alcalde local, Carlos Mauricio Naranjo, le ‘cogió la caña’ al alcalde Gustavo Petro –que está promoviendo la idea entre todos los alcaldes locales– y comenzó a erigir el proyecto”, dijo José Fernando Portilla, arquitecto del Fondo de Desarrollo Local de Engativá. Para lograr esto, se destinó un presupuesto de unos 2.055 millones de pesos para adquirir 14 máquinas, traídas de diferentes países, que permitirán que en un tiempo récord se pueda arreglar desde un hueco hasta una calle completa, sin necesidad de intermediarios. “Así se podrá atender con mayor eficiencia y eficacia la malla vial de los barrios que más lo necesiten y de forma inmediata”, dijo Portilla. Los ciudadanos que han conocido la noticia son los más sorprendidos, porque han tenido que padecer años de vías encharcadas y hechas auténticas trochas. “Uno no entiende por qué esto no se les había ocurrido antes. Esa es la solución: que cada localidad tenga sus máquinas y arregle sus huecos sin necesidad de terceros, que terminan por robarse la plata”, afirmó Gonzalo Chiriví, residente de la localidad. Según Portilla, uno de los mayores logros de esta decisión será la adquisición de un vehículo multifuncional de reparcheo “único en el país”. Con este se podrá cortar asfalto, romperlo con un martillo, limpiar el área con una especie de compresor de aire y, además, compactar el material extendido con una placa vibratoria. También se adquirirá una tolva, que sirve para mantener el material que se va a usar, a la temperatura requerida. El costo total en este caso ascendió a 599 millones de pesos y fue ganado por la firma Fiza SAS. También está en proceso la compra de una retroexcavadora, un camión y tres volquetas por un valor de 939 millones de pesos a la firma Didacol Praco. A esto se suma una motoniveladora de 436 millones de pesos, de la empresa Gecolsa, y un minicargador de la empresa Dinisan S.A. por 80 millones de pesos. En total, la inversión ascendió a 2.055 millones de pesos. REDACCIÓN BOGOTÁ
KIT COMPACTO TAPA BURACO ROMANELLI VENCE LICITAÇÃO NA COLOMBIA E SAI EM MATÉRIA NO PRINCIPAL JORNAL DA COLOMBIA TOTAL DE 12 EQUIPAMENTOS SENDO A PRIMEIRA ENTREGA AGORA EM NOVEMBRO

KIT COMPACTO TAPA BURACO ROMANELLI VENCE LICITAÇÃO NA COLOMBIA E SAI EM MATÉRIA NO PRINCIPAL JORNAL DA COLOMBIA TOTAL DE 12 EQUIPAMENTOS SENDO A PRIMEIRA ENTREGA AGORA EM NOVEMBRO

Contará con maquinaria propia para hacer el mantenimiento de la malla vial local desde el 2014. Cansados del pésimo estado de una buena parte de la malla vial de Engativá –según estudios, más de 366 kilómetros de los 1.328 existentes están deteriorados–, el gobierno local comenzó el proceso para adquirir un arsenal de equipos para consolidar la primera Unidad de Mantenimiento Vial Local de Bogotá. Si todo resulta como está previsto, la maquinaria empezará a tapar huecos desde enero del 2014 en esta zona de la ciudad. El propósito de esta iniciativa es evitar todos los vicios de corrupción, negligencia y demoras en los procesos de contratación. “Por eso, el alcalde local, Carlos Mauricio Naranjo, le ‘cogió la caña’ al alcalde Gustavo Petro –que está promoviendo la idea entre todos los alcaldes locales– y comenzó a erigir el proyecto”, dijo José Fernando Portilla, arquitecto del Fondo de Desarrollo Local de Engativá. Para lograr esto, se destinó un presupuesto de unos 2.055 millones de pesos para adquirir 14 máquinas, traídas de diferentes países, que permitirán que en un tiempo récord se pueda arreglar desde un hueco hasta una calle completa, sin necesidad de intermediarios. “Así se podrá atender con mayor eficiencia y eficacia la malla vial de los barrios que más lo necesiten y de forma inmediata”, dijo Portilla. Los ciudadanos que han conocido la noticia son los más sorprendidos, porque han tenido que padecer años de vías encharcadas y hechas auténticas trochas. “Uno no entiende por qué esto no se les había ocurrido antes. Esa es la solución: que cada localidad tenga sus máquinas y arregle sus huecos sin necesidad de terceros, que terminan por robarse la plata”, afirmó Gonzalo Chiriví, residente de la localidad. Según Portilla, uno de los mayores logros de esta decisión será la adquisición de un vehículo multifuncional de reparcheo “único en el país”. Con este se podrá cortar asfalto, romperlo con un martillo, limpiar el área con una especie de compresor de aire y, además, compactar el material extendido con una placa vibratoria. También se adquirirá una tolva, que sirve para mantener el material que se va a usar, a la temperatura requerida. El costo total en este caso ascendió a 599 millones de pesos y fue ganado por la firma Fiza SAS. También está en proceso la compra de una retroexcavadora, un camión y tres volquetas por un valor de 939 millones de pesos a la firma Didacol Praco. A esto se suma una motoniveladora de 436 millones de pesos, de la empresa Gecolsa, y un minicargador de la empresa Dinisan S.A. por 80 millones de pesos. En total, la inversión ascendió a 2.055 millones de pesos. REDACCIÓN BOGOTÁ
Expansão da Romanelli

Expansão da Romanelli

Investir em pesquisa, desenvolvimento e tecnologia de ponta faz parte da missão e dos valores da Romanelli para produzir equipamentos cada vez mais funcionais e eficientes. Com a demanda do mercado, a empresa aposta na expansão da capacidade produtiva, lançamento de novas máquinas e na infraestrutura interna. O investimento na ampliação interna começou em 2011 e continuará durante este ano de 2012. No parque fabril, em 2011, houve a ampliação da estrutura e o alargamento da Cabine de Pintura e dos barracões. O escritório, direcionado à exportação e à importação de equipamentos e materiais, também ganhará mais espaço visando à melhora do fluxo da demanda nacional e internacional. Além de novos lançamentos, a Romanelli firmou parcerias para esse ano com empresas da China e dos Estados Unidos, buscando trazer as novas tecnologias e inovações para o mercado brasileiro. Dessa forma, serão gerados equipamentos mais competitivos e modernos, capazes de suprir novas áreas de atuação do mesmo segmento.
Romanelli aposta na criação de novos equipamentos

Romanelli aposta na criação de novos equipamentos

O fator que torna os produtos da Romanelli sinônimo de desempenho, economia e confiabilidade é o grande investimento em novas soluções para a inovação de peças e equipamentos. A linha completa é destinada à pavimentação asfáltica, composta por espargidores, multi distribuidores de agregado, usinas, mini máquinas, tanques entre outros. A Romanelli é referência do setor de infraestrutura viária e rodoviária, afinal, são produtos com tecnologia de ponta, excelência no desempenho e durabilidade. O exemplo pode ser conferido no mais novo lançamento da Romanelli, o Comboio CCR 500, cujo design inovador conta com fechos moldados em chaparia de alta resistência. A máquina também agrega divisórias internas para diversos tipos de equipamentos como tanques, enroladeiras de mangueiras automáticas, medidores de vazão eletrônicos e analógicos, além de armários para ferramentas. A estrutura do Comboio CCR 500 é composta por uma plataforma metálica, construída em perfis dobrados de aço carbono. O equipamento possui bacia de contenção que evita possíveis vazamentos de óleo ou lubrificantes, impedindo a contaminação do meio ambiente conforme o ISO 14.001. O CCR 500 é um equipamento completo que une tecnologia inovadora à praticidade. Essas são algumas das características que fazem da Romanelli empresa referência na produção de equipamentos para pavimentação asfáltica na América Latina e no mundo.
Governo anuncia R$ 42,5 bilhões para rodovias

Governo anuncia R$ 42,5 bilhões para rodovias

Publicado em 16 Agosto de 2012 Valor deve ser aplicado na duplicação de 5,7 mil quilômetros dos principais eixos rodoviários do País. Neste contexto, a Brazil Road Expo 2013, será o palco para os principais debates sobre o setor de infraestrutura. A presidente Dilma Rousseff, anunciou na última quarta-feira, 15, em Brasília, um novo pacote para incentivar investimentos de infraestrutura do País. O Programa de Investimentos em Logística (PIL) terá na sua primeira fase, R$ 42,5 bilhões destinados à duplicação de 5,7 mil quilômetros de rodovias, incluindo os principais eixos rodoviários do Brasil. Além dos 5.700 quilômetros de rodovias que serão construídos, outros 1.800 quilômetros de estradas que já foram duplicadas pelo governo serão concedidos para empresas privadas fazerem a manutenção e gestão. Do total, serão investidos em cinco anos, segundo o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, R$ 23,5 bilhões no caso de rodovias. Segundo ele, todas as obras devem estar concluídas num prazo de cinco anos após a assinatura dos contratos de concessão. A previsão é que esses contratos estejam todos assinados até setembro de 2013. o que significa que a previsão do governo é de todas as obras estejam concluídas até 2018. Depois disso, serão investidos mais R$ 18,5 bilhões em 20 anos na manutenção das rodovias. De acordo com o governo, a iniciativa busca integrar rodovias, ferrovias, portos e aeroportos; reduzir custos e ampliar a capacidade de transporte; promover a eficiência e aumentar a competitividade do país; e estimular o investimento nacional e internacional em infraestrutura. Neste contexto, a Brazil Road Expo 2013 é o palco de discussões ideal para quem investe ou pretende investir no setor. “O evento, voltado aos setores viário e rodoviário, que acontece entre 19 e 21 de março, em São Paulo, deve superar a geração de R$ 500 milhões em negócios”, afirma Guilherme Ramos, diretor da Brazil Road Expo. Venha conhecer. Fonte: Folha de S. Paulo / Valor Econômico Foto: Wilson Dias/ABr
Dnit licitará 30 mil km de rodovias até o fim do ano

Dnit licitará 30 mil km de rodovias até o fim do ano

Publicado em 21 Agosto de 2012 Ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, quer repetir execução orçamentária de 2010 após reestruturação do órgão; obras estão paradas desde escândalos de superfaturamento, em 2011. Após finalizar um pacote de concessões de estradas e ferrovias à iniciativa privada, anunciado na semana passada, o governo vai reativar as licitações do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), paradas desde os escândalos de superfaturamento de obras, em 2011. O Ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, disse ao Brasil Econômico que o órgão está preparado para licitar, neste segundo semestre, obras em 30 mil quilômetros de rodovias federais. "Vamos licitar uma grande parte de projetos", diz. Um dos exemplos está na duplicação da BR-470, em Santa Catarina, entre as cidades de Navegantes e Indaial, na qual estão previstas as construções de túneis e ponte. Nesta mesma escala, estão também previstas construções em diferentes outros trechos: BR-280, também em Santa Catarina, BR-364, no Mato Grosso e BR-381, em Minas Gerais. "Todos serão projetos pesados em termos de construção", afirma Passos sem citar o montante de investimentos envolvidos. E o processo de destravamento do Dnit começa hoje. Passos deverá assinar ordem de serviço para a reforma de trechos da BR-116 - entre Eldorado do Sul e Pelotas, no Rio Grande do Sul, que somarão R$ 1,2 bilhão. O Ministro garante que até o final do ano repetirá a execução orçamentária de 2010, no valor de R$ 11 bilhões, antes da descoberta dos escândalos de superfaturamento de obras no órgão que custaram o cargo do seu antecessor, o senador Alfredo Nascimento (PR-AM). Passos afirma que tem se reunido frequentemente com a Ministra do Planejamento, Miriam Belchior, como parte de uma ação de monitoramento de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A ação coordenada foi feita para ajudar na revisão de uma série de projetos suspensos desde o ano passado após a identificação de falhas. Ainda assim, ele nega que se trate de algo inerente as atividades normais dos dois Ministérios. "Nós nos reunimos periodicamente, muito mais do que vocês podem supor, e no caso do Dnit a exigência é maior porque estamos falando de 1,9 mil contratos de obras", conta. Segundo Passos, a maioria dos projetos do chamado Crema - programa de restauração e manutenção de rodovias que consiste em obras de tapa buraco e sinalização - também já começa a sair do papel. "Da segunda etapa do Crema já estamos com 7,8 mil quilômetros de licitações publicadas e outros 9 mil que correspondem a segunda etapa do programa." Todos os projetos tiveram que passar por revisões desde 2011. Paralisia Conforme publicou o Brasil Econômico, o Dnit executou apenas cerca de 8% do orçamento previsto para o ano, mas Passos nega que o órgão tenha ficado parado. Segundo ele, o departamento fez uma série de execuções orçamentárias para os chamados "restos a pagar" que também cumprem o papel de remunerar projetos ainda em andamento. "No último mês o Dnit pagou quase R$ 1 bilhão", afirma. O ministro sinaliza que a fase de reestruturação do órgão já passou e descarta teses que atribuem o pacote de concessão lançado pelo governo Dilma Rousseff como uma tentativa de esvaziar o Dnit. "A malha que o órgão toma conta diminuirá em 7,5 mil quilômetros, o que por outro lado dará folga ao orçamento do governo para investimentos nas estradas de outras regiões." Fonte: Brasil Econômico
O sucesso da Convenção 2012 Romanelli

O sucesso da Convenção 2012 Romanelli

Entre os dias 17 e 19 de Outubro aconteceu a Convenção Romanelli, que contou com a presença de 40 participantes entre representantes, palestrantes e colaboradores da Romanelli, em Cambé, no norte paranaense. A solenidade de abertura, no dia 17, foi feita pelos diretores das áreas comercial e industrial, respectivamente, José Carlos Romanelli e Ilson Romanelli, que saudaram os representantes e ressaltaram a importância das representações para a empresa. “É com muita satisfação que recebemos vocês para a Convenção 2012 Romanelli. Nestes dias de palestras vamos abordar conteúdos importantes para que vocês possam utilizar e esclarecer as dúvidas dos clientes”, afirmou José Carlos Romanelli. O know how de 50 anos e a solidez da empresa Romanelli também foram assuntos de destaque na abertura. Os representantes puderam conferir um vídeo institucional que fez um resumo da história, assuntos atuais e futuros projetos da empresa. Após as apresentações, os participantes puderam conferir uma breve palestra motivacional da coach e psicóloga Gislene Isquierdo. Na ocasião, os participantes puderam conferir quais são os critérios que devem adotar para ter sucesso nas vendas. Em seguida, houve uma visita ao parque fabril, na qual os representantes conheceram os barracões e toda infraestrutura, matéria-prima e tecnologia utilizada na produção dos equipamentos. No período da tarde, o engenheiro civil e vice-presidente do Instituto Pavimentar, Armando Morilha Junior, falou sobre as tecnologias de pavimentação proporcionadas pelos equipamentos da Romanelli. De acordo com Morilha Jr, “o conhecimento das técnicas de pavimentação é uma ferramenta muito importante para criar oportunidades comerciais a partir de sua aplicação”. Durante sua explanação, foram apresentadas tecnologias de pavimentação com seus conceitos, insumos utilizados e aplicabilidade. Também foram expostas ideias e perfis de clientes passíveis de serem atendidos com os equipamentos e serviços da Romanelli.
Kit Tapa Buraco entregue para a prefeitura de Londrina

Kit Tapa Buraco entregue para a prefeitura de Londrina

O prefeito Alexandre Kireeff entregou nesta segunda-feira (23) nove máquinas às secretarias de Obras e Pavimentação e de Agricultura e Abastecimento. Os recursos, provenientes do programa estadual Paranacidade, totalizam investimentos de R$ 1.894.700,00. Foram entregues três retroescavadeiras, dois caminhões caçamba, dois caminhões comboio 4X2, um caminhão plataforma 4X2 e um caminhão plataforma 8X2. Oito máquinas irão para a Secretaria de Obras e Pavimentação e um caminhão comboio 4X2 será repassado para a Secretaria de Agricultura e Abastecimento. O prefeito destacou que a entrega do maquinário às secretarias faz parte da estruturação das mesmas. \\\"É muito difícil percebermos a dificuldade da população e não termos os meios para atender. Então aos poucos estamos nos estruturando para poder não apenas atender, de forma paliativa, mas também de forma preventiva. Garantimos investimentos, tanto na zona urbana quanto na zona rural\\\", ressaltou. O secretário municipal de Obras e Pavimentação, Walmir Matos, disse que o prefeito tem tido a visão de sanar as deficiências da secretaria. \\\"Isso contribui para que tenhamos condições ideais para enfrentarmos os desafios. Sinto-me confortável porque estamos entrando numa agenda muito positiva\\\", destacou. O secretário ressaltou, também, o apoio dado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano do Paraná(SEDU) em Londrina. O secretário de Agricultura e Abastecimento, Vitor dos Santos Junior, e vereadores como o líder do governo no legislativo, Junior Santos Rosa, e o presidente da Câmara, Fábio Testa, estiveram presentes na solenidade. O coordenador do Paranacidade em Londrina, Ricardo Amaral, também esteve presente. Balanço - No dia 29 de janeiro, o prefeito já havia entregue outros nove equipamentos, dos quais sete foram repassados à Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação e dois para a Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento. O maquinário é composto por três motoescavadeiras, quatro pás-carregadeiras, uma escavadeira hidráulica e um rolo compactador. Com isso, o Município totaliza a entrega de 18 das 28 máquinas previstas. Mais equipamentos rodoviários serão entregues até o final de março, perfazendo um investimento total de R$ 7.860.000,00. Fonte: O Bonde
TBR-500 5M³ entregue na Cidade de La Paz

TBR-500 5M³ entregue na Cidade de La Paz

Foi entregue nosso TBR-500 5M³ para o Prefeito da Cidade de La Paz Bolívia que contou com toda a imprensa nacional Boliviana para o evento. (Gobierno Autónomo de La Municipalidad de La Paz).